ANTONIO MIGUEL

ANTONIO MIGUEL

ANTONIO MIGUEL (1953 - ....)

 

ANTONIO MIGUEL nasceu em 30 de dezembro de 1953. Possui Licenciatura em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1976), Mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1984) e Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1993). Atuou como professor assistente junto ao Departamento de Ensino e Práticas Culturais da Faculdade de Educação da UNICAMP, desde 1982, aposentando-se na mesma instituição em 2016. Miguel continua trabalhando como professor pesquisador pleno e orientador em nível de mestrado e doutorado junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da UNICAMP e junto ao Programa de Pós-Graduação Multiunidades em Ensino de Ciências e Matemática da UNICAMP (PECIM). Miguel é uma referência acadêmica no que tange a relações entre História, Filosofia e Educação Matemática.

Em 1985, Miguel é convocado pela Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas (CENP), da Secretaria de Educação do estado de São Paulo, para compor o grupo de assessores e iniciar os trabalhos e discussões para a elaboração e implantação de uma nova proposta de matemática para o ensino paulista.

As discussões sobre a elaboração de um novo documento curricular ocorrem em meio a um contexto de redemocratização do país. O primeiro governador eleito pelo voto direto, depois de décadas de ditadura, no estado de São Paulo, foi André Franco Montoro, para o período de 1983-1987. Na época dos anos de chumbo era impensável uma discussão ampla acerca dos currículos, e é no período do mandato do primeiro governador escolhido pela população que surgem as primeiras ideias de modificar os currículos que vigoravam em nosso país. Na década de 1970, as referências curriculares paulistas eram dadas Guias Curriculares, que surgiram no regime militar, concebidos pela Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas (CENP). Relativamente à matemática, os Guias representavam uma proposta estruturalista no sentido de estarem alinhadas ao Movimento da Matemática Moderna (MMM). A análise feita por Miguel (2021) sobre a documentação curricular relativa ao ensino de matemática leva esse professor a considerar que o “verdão”, como ficou conhecido entre os professores o Guia Curricular de Matemática, buscou desfazer equívocos que estavam orientando os professores por meio de livros didáticos sobre o MMM. Nesse sentido, o Guia Curricular representou um tratamento mais rigoroso das propostas originais do MMM.

Já no governo de Montoro, antes do início das discussões de uma nova proposta, a CENP parte da proposta antiga, o “verdão”, promovendo em 1985 um encontro em que se distribui um documento de análise crítica ao Guia Curricular. Por esse tempo, Antonio Miguel é convocado pela CENP para compor a equipe de assessores para a elaboração de uma nova orientação para o ensino: a Proposta Curricular de Matemática do estado de São Paulo.

Antonio Miguel relata o motivo pelo qual a CENP requisitou sua expertise: na época, já era professor da Universidade Estadual de Campinas, foi aluno de Mestrado em Educação Matemática na mesma instituição e era também professor da rede pública. Para Miguel, talvez o que mais tenha pesado na sua convocação pela CENP referia-se à sua participação na elaboração do material intitulado “Tópicos no Ensino de Matemática” (https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218450), produzido por um grupo de professores no final da década de 1970, elaborado por mimeógrafo e distribuído nas aulas. Miguel acredita que, em razão da produção desse material, ele teria sido convocado pela CENP, pois a circulação desse documento se deu em escolas públicas e particulares de Campinas desde a década de 1970 e teve longevidade de pelo menos 10 anos. Para Miguel houve dois movimentos diferentes, sendo, de um lado, um grupo de professores de Campinas elaborando materiais para suas aulas; e, do outro, o movimento de discussão da nova Proposta Curricular de Matemática.

Em entrevista, Miguel aponta, ainda, que em 1985 a CENP levou a discussão, aos professores da rede, de um texto analítico do Guia Curricular. Como ressalta o professor, educadores de Campinas envolvidos com as discussões de um novo currículo começaram a elaborar um documento crítico acerca dessa proposta anterior e, para Miguel, esse fato foi importante em relação a sua convocatória para atuar junto a CENP como assessor da equipe técnica de Matemática nos anos de 1986 e 1987.

As obras no formato de fascículos, intitulados “Tópicos de ensino de Matemática” abordam os seguintes temas: Números Naturais, Geometria I, O Conceito de Fração, Operações com Números Fracionários, O Problema de Medida, Números Decimais, Geometria II, Números Inteiros, Cálculo Literal, Equações do 1º Grau, Sistemas de Equações de 1º Grau, Proporcionalidade, Geometria III, Áreas e Perímetros, Números Irracionais, Equações do 2º Grau (totalizando 16 projetos) doados pelo Professor Antonio Miguel. Todo o material pode ser consultado por meio da bibliografia deste texto.

Os fascículos não eram seriados, permitindo aos professores escolherem os momentos mais apropriados para desenvolverem os temas, que englobavam conteúdos de 5ª a 8ª séries. Sua circulação ocorreu nas escolas do município de Campinas nas décadas de 1970 e 1980, elaborado por um grupo de professores que estavam descontentes com o resultado da aprendizagem de seus alunos. O uso era opcional aos professores, o objetivo era tornar o ensino por meios de atividades e estas propiciavam a construção do conhecimento.

A Proposta Curricular para o ensino de Matemática no ensino de primeiro grau a ser analisada é a da 4ª edição (https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/17051), cujos elaboradores foram: Antonio Miguel (Assessor - UNICAMP), Marília Barros de Almeida Toledo (CENP), Mário Magnusson Jr. (CENP), Nilson José Machado (Assessor - USP), Regina Maria Pavanello (CENP), Roberto Barbosa (CENP), Ruy Cesar Pietropaolo (CENP), Suzana Laino Candido (CENP) e Vinício de Macedo Santos (CENP). A 1ª edição veio à luz no ano de 1986. Destacamos, da equipe de elaboradores, o professor Antonio Miguel.

A elaboração da Proposta ficou a cargo da equipe técnica de matemática da CENP, órgão responsável por promover discussões acerca da qualidade do ensino oferecido pelas escolas públicas no estado de São Paulo. O foco da proposta voltava-se para problemas relativos ao ensino de Matemática, diagnosticado por professores. Dentre eles, a preocupação com o treino de habilidades com a mecanização de algoritmos, com a memorização de regras e esquemas de resolução de problemas, priorização de uma repetição e a imitação, primando por uma aprendizagem que não se dá por meio da compreensão de conceitos e de propriedades, centrava-se pelos temas algébricos deixando de lado tópicos de Geometria. Por fim, críticas à exigência de uma formalização precoce e um nível de abstração em desacordo com o amadurecimento do aluno. Assim, esses professores, em constantes questionamentos dos conteúdos dos livros didáticos, vinham se reunindo para discutir novas propostas para o ensino de Matemática.

Tendo em vista os problemas detectados por professores da rede no ensino de Matemática do ensino de primeiro grau, a respeito do que propunham os Guias Curriculares para o ensino da mesma, a CENP dá início ao processo de elaboração de uma nova proposta. Uma equipe formada por professores de Matemática da CENP, professores da rede estadual, monitores e especialistas das universidades paulistas foram responsáveis pelo processo de elaboração, que passou por discussões e reelaboração de diversas versões até ser obtida uma proposta consolidada.

Sua estruturação se deu por meio de três grandes temas: Números, Geometria e Medidas. Por meio deles, buscava-se atingir as seguintes metas para o ensino de Matemática na escola básica: as aplicações práticas e o desenvolvimento do raciocínio lógico. Estes temas, por sua vez, caso fosse possível, poderiam ser tratados de forma simultânea, no sentido de um foco nas ideias fundamentais. Por exemplo, a ideia de proporcionalidade envolvendo números (razões, proporções) e também Geometria (semelhança de figuras); logo, tais assuntos podem ser desenvolvidos paralelamente, independente ao qual grande tema eles fizessem parte na proposta. Com isso, a pretensão sobre o conhecimento matemático no 1º grau, baseado na proposta, era a de que os alunos tivessem uma visão global destes temas. Há também ao final de cada série, comentários e observações para nortear o trabalho do professor.

Na leitura da Proposta Curricular de Matemática do estado de São Paulo tem-se à página 181 desse documento um confronto entre as duas propostas: Guias Curriculares versusProposta Curricular. Um quadro geral envolvendo os temas: Geometria, Medidas, Teoria dos Conjuntos, Números e Relação/Função, cujo intuito era deixar claro aos professores da rede quais eram os objetivos da proposta então vigente (Guias Curriculares) e a nova proposta que seria utilizada no ensino paulista nos próximos anos. Este quadro apresenta uma proposta diferenciada, no sentido de propor um ensino de Matemática por meio de experiências, exploração e manipulações de objetos do mundo físico, sendo que no período dos guias prevalecia um ensino de Matemática focado na linguagem formal da disciplina, os números eram tratados a partir de sua organização em conjuntos numéricos. Um ponto importante apresentado no quadro é referente à Teoria dos Conjuntos. Nos Guias era enfatizado o papel das estruturas algébricas, optando pela linguagem dos conjuntos. Já na nova proposta esse aspecto foi minimizado. O novo currículo buscava um efetivo processo de construção do conhecimento partindo do aluno e não de algo pronto e acabado como propunham os Guias Curriculares, no entendimento da nova Proposta.

 

Referências

 

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Números Naturais [Repositório Digital da UFSC], v.1, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218450>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Geometria I [Repositório Digital da UFSC], v.2, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218451>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, O Conceito de Fração [Repositório Digital da UFSC], v.3, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218453>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Operações com Números Fracionários [Repositório Digital da UFSC], v.4, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218455>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes.; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, O Problema da Medida [Repositório Digital da UFSC], v.5, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218456>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Números Decimais [Repositório Digital da UFSC], v.6, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218457>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Geometria II [Repositório Digital da UFSC], v.7, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218458>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Números Inteiros [Repositório Digital da UFSC], v.8, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218459>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Cálculo Literal [Repositório Digital da UFSC], v.9, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218460>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Equações de 1º Grau [Repositório Digital da UFSC], v.10, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218461>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Sistemas de Equações de 1º Grau [Repositório Digital da UFSC], v.12, 1993, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218464>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amara; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Proporcionalidade [Repositório Digital da UFSC], v.13, 1992, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218466>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Geometria III [Repositório Digital da UFSC], v.13, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218467>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Áreas e Perímetros [Repositório Digital da UFSC], v.14, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218469>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Números Irracionais [Repositório Digital da UFSC], v.15, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218470>. Acesso em: 28 jan. 2021.

NACARATO, Adair Mendes; MIGUEL, Antonio; FUNCIA, Manoel Amaral; MIORIM, Maria Ângela. Tópicos de Ensino de Matemática, Equações de 2º Grau [Repositório Digital da UFSC], v.16, 1990, Editora: Delta Xis. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/218471>. Acesso em: 28 jan. 2021.

TOLEDO, Marília de Barros de; MAGNUSSUN JUNIOR, Mário; PAVANELLO, Regina Maria; BARBOSA, Roberto; PIETROPAOLO, Ruy César; CÂNDIDO, Suzana Laino; SANTOS, Vinício de Macedo. Proposta Curricular para o ensino de matemática- 1º Grau. 4.ed., São Paulo, 1992. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/170519>. Acesso em: 12 abr.2021.

VALENTE, Wagner Rodrigues; BERTINI, Luciane de Fatima; MORAIS, Rosilda dos Santos. Saber profissional do professor que ensina matemática: discussões teórico-metodológicas de uma pesquisa em perspectiva histórica, Revista Brasileira de História da Educação, Maringá, vol.21, n.1, p. 1-20, 2021. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/219780>. Acesso em: 29, jun.2021.

 

Gisele de Gouvêa